fbpx

Blog

Jade Autism + SStudio Marketing: dando voz a quem precisa

Jade-autism-Sstudio-marketing-ricardo-silva

 

Durante os últimos meses, a equipe do Jade Autism tem trabalhado em parceria com o SStudio Marketing para ampliar o alcance da sua mensagem. Com a missão de levar dados científicos sobre o autismo e seus desdobramentos na vida das crianças, é fundamental contar com parcerias estratégicas como essa.

Nesse sentido, a parceria com o SStudio Marketing surgiu como forma de encontrar mais ambientes que estejam abertos às conversas, nesse caso o ambiente esportivo. É extremamente necessário refletir sobre a realidade das crianças autistas no Brasil, as barreiras socioculturais e o apoio necessário para que elas se desenvolvam sem prejuízos à saúde mental.

Para explicar melhor sobre a importância desse movimento, conversamos com Ricardo Silva, fundador da SStudio Mkt, empresa que prioriza o alcance da tecnologia e da inclusão no esporte.

 

Levando inclusão para o esporte

 

“Minha paixão pelo esporte vem desde criança. Aos 15 anos de idade iniciei como empreendedor na época associado ao Surf”, conta Ricardo. “Na faculdade, com meus colegas, participei da organização do 1 Campeonato de Surf Universitário realizado no Guarujá”.

Ele acredita que sua experiência fora do esporte contribuiu para implementar estratégias dentro do mercado: “Como profissional atuei em posições diversas de direção e gestão, seja como Presidente, CEO, COO, advisor, entre outras.”

A experiência adquirida em projetos complexos com altos recursos e muitos participantes têm influência direta no trabalho que ele realiza hoje: “permitiu entender esse universo, levou-me a sentir-me confortável atuar em situações de crise, atuando com equipes de profissionais como um grande time em ações coordenadas,  fazendo parte e desenvolvendo projetos inovadores, hoje cases nacionais e internacionais.”

Poder participar de iniciativas que promovem acessibilidade em eventos esportivos faz parte de sua trajetória: “Alguns destes casos me tocaram profundamente que foram os associados ao esporte paralímpico no início deste milênio. A tecnologia fez parte da minha história profissional, seja no desenvolvimento de produtos, na comunicação, preparação de atletas, entre outros.”

 

Inovação e tecnologia aliados da inclusão 

 

“Trabalhar com empresas de inovação é sempre muito gratificante, sejam nacionais ou internacionais, pois é um constante aprendizado de todos os envolvidos”, frisa ele.

Mas é claro que também existem problemas a serem enfrentados nessa jornada de aprendizado: “Os principais desafios em trabalhar com projetos de inclusão é de que as pessoas / profissionais / empresas / corporações / veículos de média / abram espaço para promover realmente uma cultura e inclusão, que seja implementada, mantida, renovada e praticada.”

Mas ele acredita que o cenário tem mudado para melhor nos últimos anos. “Eu vi essa evolução acontecer ao longo dos últimos 20 anos,” reflete, “onde um dos projetos que tenho o maior carinho, foi ter sido convidado a fazer parte da equipe do do Rio 2007 Jogos Parapamericanos, podendo contar com o apoio, suporte de excelentes profissionais, dirigentes, autoridades esportivas e das áreas do governo.” 

 

Inclusão no esporte

 

“Trabalhar em projetos como estes que promovem a inclusão é árduo, longo, oportunidade de praticar a resiliência, onde ao final é muito gratificante e enriquecedor”, comenta Ricardo. 

Existe um processo para iniciar conversas, ampliar a discussão sobre inclusão e torná-la parte do status quo das instituições. “Trabalhar com acessibilidade é um processo que leva tempo, dedicação que gera benefícios para todos os envolvidos, os empresários por saber que podem ajudar ao próximo com pequenos gestos, ações, conexões que permitem atrair recursos para implantar os projetos, atuar genuinamente em grupo para o bem de todos, de termos um amanhã melhor.”

Pensando em um longo prazo, Ricardo acredita que muito já foi percorrido, mas que mais oportunidades devem transformar o cenário da inclusão e da tecnologia no esporte: “Olhamos para trás e vemos o caminho percorrido pela SSTUDIO Marketing ao longo de quase 20 anos com trabalhos associados a inclusão através do esporte, projetos complexos, onde a inovação sempre esteve presente”, diz.

Qual é a principal missão? Explorar os recursos. “Hoje praticamos a cultura de inovação, um olhar diferente para a mesma situação, atuar com as tecnologias existentes, as em desenvolvimento associadas principalmente ao esporte (Sporttech) permite gerar um interessante leque de oportunidades no dia a dia”, conclui.

Leia mais sobre autocuidado e atividade física no autismo!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *