O autismo, como é popularmente conhecido o Transtorno do Espectro do Autismo (TEA), é uma condição de saúde que causa déficit no desenvolvimento comunicacional e, consequentemente, dificuldades de socialização. Por isso, é importante conhecer jogos para jogar com crianças autistas que possam ajudar nesse processo de interação.

Há outras características do transtorno, incluindo problemas de comportamento (agitação e irritação frequente), além da realização de movimentos repetitivos.

Hoje em dia, sabe-se que as causas do autismo são inúmeras, mas estudos recentes demonstram que os fatores genéticos são os que mais prevalecem na incidência do TEA.

Apesar das dificuldades de tratar crianças com autismo, é possível usar vários jogos como aliados, sendo uma forma de estimular a aprendizagem e o desenvolvimento dos indivíduos.

No artigo de hoje, conheça os melhores jogos para jogar com crianças autistas. Acompanhe a leitura!

 

Jogo da memória

 

Fácil e simples de jogar, o jogo da memória é uma forma de estimular a capacidade de raciocínio lógico das crianças, de forma lúdica.

É possível construir um jogo totalmente personalizado, com o uso de etiquetas adesivas, sobre um tema que seja de interesse da criança, como filmes, profissões, animais, etc.

Espalhe as figuras repetidas na mesa ou no chão e, depois, estimule a criança a encontrar o par. Lembre-se de explicar as regras de forma clara e com palavras fáceis.

Para as crianças autistas, recomenda-se dar preferência por ilustrações, ao invés de frases ou palavras, pois elas são mais estimuladas por meio da comunicação visual.

 

jogo da memoria jade autism

 

Caixa sensorial

 

A caixa sensorial tem como objetivo estimular o tato das crianças e, desse modo, estimular o desenvolvimento sensitivo dos pequenos com transtorno espectro do autismo.

A dica é montar uma caixa com vários objetos dentro, com texturas, símbolos gráficos e tamanhos diferentes. Por exemplo, uma fechadura eletroímã e uma pequena almofada.

Depois, peça para que a criança tente adivinhar qual é o objeto dentro da caixa.

 

Pintar e desenhar

 

Essa é uma atividade bastante simples, mas que ajuda muito no desenvolvimento de crianças com autismo. Por meio dos desenhos, elas podem:

  • Reconhecer as cores;
  • Criar novas tonalidades;
  • Estimular a criatividade;
  • Incitar a observação;
  • Aproximar a criança;
  • Gerar empatia.

Além da pintura em papel, uma dica é incentivar desenhos em outros lugares, como em um colar elizabetano gato, para ter itens decorados.

 

“Eu me pareço com quem?”

 

A intenção dessa atividade é fazer com que a criança reconheça as características físicas semelhantes em estranhos.

Para isso, faça recortes de fotografias de revistas ou mostre fotos para que ela identifique o que as pessoas fotografadas têm em comum.

Depois, peça para que as crianças colem imagens de pessoas parecidas com elas. Dessa forma, é possível estimular a psicomotricidade e memória, além de aumentar o conhecimento da criança sobre o seu próprio corpo.

 

Buscar objetos

 

Para esse jogo, peça para que a criança observe atentamente um determinado objeto, como uma agenda de serviços de contabilidade. Depois, esconda o artigo e peça para que ela encontre o item pela casa.

Essa atividade amplia a noção de espaço da criança e estimula o desenvolvimento cognitivo.

 

Com que letra começa

 

Uma maneira de ajudar na comunicação verbal das crianças com autismo é propor a brincadeira “com que letra começa”.

Para isso, recorte algumas letras em papel ou cartolina e separe alguns objetos na casa. Depois, coloque todos os recortes no chão e pergunte para a criança com que letra começa tal objeto.

Dessa forma, é possível estimular a memória e a linguagem da criança.

 

Conclusão

O estímulo do campo sensorial é extremamente importante quando tratamos de crianças com transtorno do espectro autista. Por esse motivo, é importante investir em atividades que envolvam o toque.

Vale dizer que algumas crianças autistas têm hipersensibilidade sensorial e, por isso, podem evitar essas atividades no primeiro contato. Se isso ocorrer, é importante que os profissionais e a família ofereçam novas brincadeiras de interesse da criança.

Tudo isso ajuda a estreitar os laços e a empatia, fatores fundamentais para a criança com TEA. É necessário que os pequenos se sintam amados e acolhidos, para que o desenvolvimento seja o mais amplo possível.

Além disso, há casos em que o indivíduo não se interessa por um determinado jogo ou brincadeira, mas isso não significa que ele não participará da atividade. Caso a criança não queira, não insista, pois isso pode causar irritação.

 

Leia também:

 

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *