fbpx

Blog

Conheça a neuropsicóloga Joice Andrade, consultora terapêutica do Jade

joice-andrade-jade-autism-equipe-software-educacional

 

A neuropsicóloga Joice Andrade, além de trabalhar como consultora terapêutica no desenvolvimento do Jade, está envolvida em pesquisas relacionadas à neurodivergência. Possui graduação em psicologia, pós-graduação em neuropsicologia e atualmente é mestranda em psicologia pela Universidade Federal do Espírito Santo. Atua também supervisionando as avaliações na Grande Vitória e elaborando os laudos neuropsicológicos.

 

Trajetória profissional

 

A neuropsicóloga se interessou por trabalhar com o autismo desde o início de sua carreira. “Comecei a trabalhar com TEA ainda na faculdade durante o estágio obrigatório na clínica da universidade”, conta ela. “Na escolha do campo de estágio optei por um campo clínico em terapia cognitiva comportamental e neuropsicologia pois era a área que mais me interessava.”

Foi a partir daí que ela começou a se envolver com a temática do espectro autista. “Atendi algumas crianças com TEA e iniciei um interesse pelo desenvolvimento humano tanto típico quanto atípico.”

 

Relação com o desenvolvimento do Jade

 

A busca pela especialização levou Joice a se envolver mais nos estudos acadêmicos. “Após a faculdade entrei em uma pós-graduação em neuropsicologia e no mestrado na Universidade Federal do Espirito Santo em psicologia”, conta ela. “Nesse período conheci o CEO do Jade que se formou na mesma universidade que eu e decidi pesquisar o Jade no mestrado.”

Foi lá que eles estabeleceram uma colaboração profissional. “Recebi o convite do Ronaldo para fazer parte do corpo científico do Jade. Nesse sentido, meu papel está voltado tanto para o desenvolvimento de atividades no app quanto para o desenvolvimento de ferramentas que auxiliem a melhor interpretação e usabilidade das informações coletadas.”

Joice conta que trabalha também na divulgação dos avanços tecnológicos da plataforma e na utilização adequada dos recursos. “Realizo treinamentos para profissionais que utilizam o Jade, para que dominem a tecnologia e seus recursos levando assim maior qualidade para seu uso.”

 

A importância do apoio psicológico

 

 “Acredito que para uma inclusão todos devem receber orientações acerca do transtorno, suas dificuldades e potencialidades, desde os professores, até familiares como tios e primos, para que melhore a qualidade de vida”, explica Joice.

E há ocasiões em que essa barreira de conhecimento cria limitações que podem ser amenizadas com orientação adequada. “Um exemplo que tenho” conta ela, “é um professor de uma universidade que entrou em contato comigo há um tempo pois estava com dois alunos com TEA de alto rendimento e conseguia observar dificuldades em comunicação social e interação tanto com ele para tirar dúvidas quanto com outros alunos, mas que não sabia como ajudar pois nunca havia tido contato com o TEA anteriormente.”

“A psicoeducação serve tanto para o indivíduo com TEA ou algum outro transtorno, quanto para profissionais que o atendem e familiares que convivem com a pessoa”, comenta. A ideia é que os benefícios de uma ampla informação sobre o autismo não só melhorem a qualidade de vida para quem tem TEA, mas ajudem a quebrar estigmas.

Além disso, ela vê no apoio psicológico, além de um auxílio para dificuldades, uma forma de desenvolver estratégias importantes para lidar com questões futuras: “Sempre ressalto que muito importante também é a psicoeducação. Se o indivíduo entende sua condição e seu processo, ele se torna capaz de evitar sintomas e ainda desenvolver estratégias que ajudem a lidar com situações que tem dificuldade, por exemplo.”

 

Dificuldades e expectativas para o futuro

 

Joice comenta que ainda existem muitos mitos relacionados às pessoas com TEA que devem ser quebrados. “Há a necessidade de quebrar a barreira de que uma pessoa com TEA não conseguirá criar e manter relações afetivas pela dificuldade de interação social, ou que apenas autistas de alto rendimento conseguem se graduar no ensino superior.”

“Para o futuro dessas crianças enxergo desafios principalmente na área da saúde que envolve diagnóstico e tratamento acessível e de qualidade para todos, pois como sabemos, apesar do TEA não ter cura, possui tratamento que melhoram significativamente a qualidade de vida, mas o acesso a um tratamento de qualidade é a realidade de poucos cidadãos brasileiros”, conclui.

 

O que é o Jade Autism?

 

O Jade é uma startup de soluções terapêuticas e educacionais para o desenvolvimento de crianças com comorbidades cognitivas como o autismo. A empresa desenvolveu um jogo para a estimulação de habilidades cognitivas de crianças no espectro. 

Conta também com integração a softwares terapêutico e educacional que auxiliam profissionais no setor de saúde e educação a acompanharem a evolução de crianças e definirem intervenções e caminhos adequados para o tratamento e ensino.

Quer saber mais sobre o trabalho do Jade? Conheça nosso app!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *