As soluções desenvolvidas pela Jade, o Jade Edu e o Jade App, são voltadas para crianças com Transtorno do Espectro Autista (TEA) e outras comorbidades, visando estimular o desenvolvimento da cognição por meio de jogos.

Elas foram criadas com bases científicas, contando com o auxílio de terapeutas e profissionais especializados no tratamento do TEA. Para trazer clareza sobre seus benefícios, resolvemos compartilhar com você alguns conceitos que serviram como base para o desenvolvimento dos jogos.

Pensando nisso, criamos uma série de textos sobre funções executivas, que são o conjunto de competências cognitivas trabalhadas nos softwares da Jade. Neste conteúdo, iremos abordar a atenção, uma das habilidades que compõem essas funções tão importantes.

Para não perder as próximas publicações, acesse o rodapé do site e assine nossa newsletter.

O que é atenção?

 

Por mais que pareça algo muito natural e simples, a atenção envolve um complexo processo cognitivo que se apresenta com prejuízos em pessoas com autismo, Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH) e outros diagnósticos.

Durante o tempo em que estamos acordados, recebemos incontáveis estímulos externos (visuais, sonoros, táteis) e internos (pensamentos e emoções). Na maior parte das vezes, esses estímulos acontecem simultaneamente, demandando bastante trabalho para o nosso cérebro.

Para nos ajudar a organizar tudo isso, existem as funções executivas: conjunto de habilidades cognitivas superiores que nos ajudam a combinar os pensamentos e as ações, autorregulando os nossos comportamentos. Uma alteração nas funções executivas pode interferir na capacidade de controlar o comportamento, resultando em problemas de impulsividade e desatenção (Brocki & Bohlin, 2006).

A atenção é uma das mais importantes funções executivas. Ela é um mecanismo complexo que filtra os estímulos sensoriais, escolhendo em qual deles a pessoa irá se concentrar, colocando tudo o que é irrelevante em segundo plano. Tem a ver com foco, fixação e com evitar distrações.

Nós usamos essa habilidade cognitiva em quase todas as atividades que desempenhamos ao longo do dia. Além disso, ela está diretamente ligada à memória e ao processo de aprendizagem.

Tipos de atenção

 

A atenção é composta por 5 níveis hierárquicos. Os autores Sohlberg e Mateer (1987) criaram o “Modelo Clínico Atencional” para organizar esses níveis de atenção de forma crescente, conforme seu nível de complexidade:

 

1) Atenção focalizada: habilidade de focar em apenas um estímulo

2) Atenção sustentada: capacidade de se manter concentrado por um longo período

3) Atenção seletiva: resistência às distrações em um ambiente com vários estímulos, conseguindo manter o foco em apenas um deles

4) Atenção alternada: habilidade de alternar a atenção focalizada entre dois estímulos

5) Atenção dividida: capacidade de prestar atenção em vários estímulos ao mesmo tempo

 

Além disso, existe a atenção compartilhada, definida por Mundy & Sigman (1989) como os comportamentos infantis os quais revestem-se de propósito declarativo, na medida em que envolvem vocalizações, gestos e contato ocular para dividir a experiência em relação às propriedades dos objetos/eventos a seu redor. Tomasello (2003) acrescenta que a atenção compartilhada é a habilidade de coordenar a atenção entre dois parceiros sociais em relação a um terceiro referencial externo.

A capacidade da criança se engajar em uma atividade com outra pessoa, se conectando com ela de forma significativa, é um pré-requisito para o desenvolvimento da linguagem, das habilidades sociais e, também, emocionais.

Alguns exemplos de atenção compartilhada no dia a dia:

  • quando a criança faz contato visual e o sustenta;
  • quando a criança segue a direção do olhar de quem está interagindo com ela, tentando descobrir para onde a outra pessoa está olhando ou apontando;
  • quando mostra brinquedos, desenhos ou outras coisas que a interessa para os pais ou professores, alternando o olhar entre o objeto/desenho e a face de seu interlocutor;
  • quando a criança acompanha com o olhar e aponta os movimentos que estão acontecendo ao redor (carros passando, pessoas andando, cachorro correndo, etc), alternando o olhar entre o objeto em movimento e seu interlocutor.

 

A atenção em crianças autistas

 

O comprometimento da atenção é um sintoma comum em crianças com autismo, podendo ocasionar:

  • Dificuldade para sustentar a atenção em uma única atividade por muito tempo, especialmente quando se trata de tarefas longas e entediantes. Quando isso acontece, elas tendem a priorizar outros estímulos mais interessantes e divertidos
  • Hiperfoco, que é quando se comportam de forma “demasiadamente focados” (Scheuer, et al., 2005), sendo bastante comum que selecionem apenas um estímulo para prestar atenção, excluindo os demais
  • Alternância entre hipo e hiperatenção
  • Dificuldade no compartilhamento de atenção, resultando em falhas na reciprocidade socioemocional
  • Dificuldade em alternar o foco entre duas atividades que estão acontecendo simultaneamente

 

Muitas dessas coisas podem acontecer devido à criança se perder em seu “universo interior”, desviando a atenção de algo ou alguém ao se distrair com um pensamento próprio. Isso afeta fortemente suas relações interpessoais e o processo de aprendizagem.

Além disso, muitas crianças autistas precisam fazer um grande esforço para compreender o significado dos estímulos ao seu redor. Com isso, acabam fazendo “escolhas muito pobres sobre ao que atentar quando não há pistas e indicações claras” (Scheuer, et al., 2005).

 

O impacto da falta de atenção no desenvolvimento educacional

 

A falta dessa importante função executiva pode impactar fortemente no aprendizado da criança, começando pelo processo de alfabetização. Ela prejudica o raciocínio, a concentração durante a aula e até a organização dos materiais escolares e anotações.

Segundo um estudo sobre o Efeito de um programa escolar de estimulação motora sobre desempenho da função executiva e atenção em crianças, “tanto a atenção quanto a memória compõem uma rede que se estabelece no momento da aprendizagem, portanto são pontos importantes a serem considerados quando há o intuito de melhorar o nível de aprendizagem do aluno”.

 

Como estimular a atenção em alunos autistas

 

Além das terapias e do acompanhamento médico, pais e professores podem incentivar as crianças a melhorarem a atenção por meio de brincadeiras e exercícios. Seguem alguns exemplos:

 

  • Estimule a criança a alternar o foco da atenção enquanto estiver brincando. Exemplo: incentive-a a desviar o foco de sua brincadeira para olhar para algum objeto que você tem nas mãos

 

  • Simplifique a rotina escolar da criança, deixe claro o que se espera dela naquele dia e, também, em cada tarefa
  • Evite atividades muito longas. Divida as tarefas grandes em micro tarefas que irão demandar pequenos ciclos de atenção focada
  • Reorganize a sala de aula e a sala de apoio minimizando a exposição da criança a diferentes estímulos ou ruídos (guarde os apoios visuais que não estão sendo utilizados no momento, arrume os brinquedos, desligue o celular). Isso irá ajudar a diminuir as distrações. Mas à medida que a atenção for sendo desenvolvida, adicione gradualmente outras fontes de estímulos e ruídos no ambiente para que a criança se adapte
  • Para trabalhar a atenção compartilhada, utilize gestos, expressões faciais, aponte para algum brinquedo e use um tom de voz animado enquanto estiver conversando com a criança
  • Investigue os temas, sensações, cheiros, texturas e ações (como cócegas ou palmas, por exemplo) que sejam de interesse da criança. Utilize tudo isso no momento da interação para manter sua atenção em determinada atividade
  • Caso a criança mude seu foco e inicie um comportamento repetitivo ou estereotipado, fique do seu lado e continue fazendo companhia. Isso a ensinará sobre interação interpessoal e mostrará que você tem interesse em simplesmente passar tempo com ela. Depois de algum tempo, com muito entusiasmo, convide a criança a voltar seu foco para a brincadeira. Mas respeite caso a resposta seja negativa

 

Lembre-se: sempre que a criança responder positivamente aos exercícios de atenção, ofereça elogio ou algum tipo de recompensa. Isso ajudará a reforçar aquele comportamento.

 

Jogos e brincadeiras que ajudam a estimular a atenção:

 

  • Jogo da memória: ótima opção para trabalhar a atenção sustentada e compartilhada. Se o jogo da memória estiver relacionado a algum tema do interesse da criança, ela poderá se engajar ainda mais na atividade. Lembre-se de chamar sua atenção para prestar atenção na jogada do parceiro
  • Jogo Lince, composto por um tabuleiro cheio de imagens com figurinhas avulsas que correspondem a cada uma delas. O objetivo do jogo é a criança encontrar a imagem que corresponde a cada figurinha. Isso trabalha a atenção alternada, sustentada e dividida
  • É possível aplicar a mesma dinâmica do jogo Lince utilizando revistas ou imagens impressas que contenham muitas figuras. Você pode entregar esse material para criança e descrever um objeto contido nela, solicitando que ela encontre o objeto correspondente naquela imagem. Exemplo: se referindo ao desenho de um sol, você pode dizer para o aluno encontrar naquela página algo que é redondo, que emite muita luz, nos deixa quentinhos e bronzeados
  • Jogo UNO: jogo de combinação de cartas da mesma cor ou que contenham o mesmo número. Isso ajuda o aluno a alternar sua atenção entre cor e número, além de manter seu foco em uma mesma atividade por um longo período, trabalhando a atenção sustentada e compartilhada
  • Jade APP: feito especificamente para auxiliar crianças autistas a desenvolverem sua cognição enquanto se divertem. Veja mais sobre o app nos próximos tópicos

 

Como a atenção é desenvolvida no Jade App

 

No Jade App o treino de atenção inicia-se nas tarefas de associações duplas, triplas e quadruplas, onde a criança deve combinar as figuras da fileira superior com a fileira inferior. Assim como no jogo da memória, a criança combina pares de figuras idênticas, no entanto, as figuras estão todas visíveis, pois a atenção é uma habilidade pré-requisito para memória.

Dessa forma, a atenção sustentada é estimulada, fazendo a associação de figuras onde são combinados pares idênticos. O nível de dificuldade vai aumentando gradativamente, chegando até quatro ou cinco pares, dependendo da categoria.

 

Conheça as soluções da Jade:

 

Jade App (antigo Jade Autism): Aplicativo para pessoas com autismo que estimula e desenvolve as funções cognitivas de crianças. Por meio de exercícios inteligentes e divertidos, o Jade app aprimora a cognição brincando. Clique aqui para fazer o download gratuitamente.

 

Jade Edu: O Jade Edu é um software educacional que fornece atividades de ensino para alunos autistas. O objetivo principal da ferramenta é ajudar os educadores a desenvolver estratégias de ensino adaptadas para crianças autistas, considerando suas dificuldades e potencialidades. Clique aqui para conhecer os planos de assinatura do Jade Edu.

 

 

Leia também:

 

 

 

 

Referências:

Diretrizes clínico-educacionais para intervenção no processo de desenvolvimento psicológico de crianças com espectro autista

Modelos cognitivos no Transtorno do Espectro do Autismo – Cláudia Facchin

Diferenças conceituais entre resposta e iniciativa de atenção compartilhada

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *